O algodão é quem mais ordena

Post 11 of 11

A Armajaro Trading Ltd quer nos expandir a sua presença no algodão. A estratégia do gigante das matérias.primas parece assim passar pela aquisição da PME britânica Plexus Cotton Ltd, segundo revelou uma fonte próxima do processo.

Os detalhes finais da transação ainda estão a ser discutidos, mas o “braço” comercial do conglomerado de commodities Armajaro Holdings parece estar em vias de fechar o negócio que irá aumentar a sua presença no mercado de fibras com uma empresa de já 20 anos e sediada no centro do mundo do algodão de Liverpool.

A Armajaro, que é uma das maiores empresas de comercialização de cacau, café e açúcar, rondava já a Plexus há algum tempo, como parte do seu objetivo de diversificar o portefólio de matérias-primas agrícolas. «A Armajaro quer fazer alguma coisa com a Plexus desde há algum tempo. Se conseguir ter uma presença decisiva numa quarta matéria-prima agrícola [algodão], estabiliza o rendimento», afirmou uma fonte com conhecimento da situação.

O negócio surge após primeiras tentativas de entrar no sector algodoeiro no ano passado, quando criou uma pequena empresa de descaroçamento no Gana, onde já opera uma parte significativa do cacau deste país da África Ocidental. A Plexus comprou uma quota de 50% da operação no ano passado, segundo o relatório anual da empresa britânica.

A Plexus está no segundo nível de comerciantes nesta pequena mas volátil indústria, lidando com cerca de 800 mil fardos de algodão por ano, segundo as estimativas, em comparação com mais de um milhão de fardos tipicamente comercializados por pesos pesados como a Louis Dreyfus Corp LOUDR.UK, a Glencore International Plc, o Noble Group Ltd ou a Olam International Ltd.

A empresa sediada em Liverpool, que registou um volume de negócios de 500 milhões de dólares (cerca de 393 milhões de euros) no ano passado, também detém quintas e empresas de descaroçamento em Moçambique, Uganda e Malawi e ainda opera uma agência na China, o maior produtor e consumidor de algodão do mundo. Tem ainda uam representação na Austrália, o sétimo maior produtor mundial.

Segundo os termos iniciais do negócio, o presidente e dono da Plexus, Nick Earlam, que fundou a empresa há mais de 20 anos, irá permanecer pelo menos três anos e adquirir uma quota na Armajaro Trading, de acordo com as mesmas fontes.

A empresa permanecerá sediada em Liverpool, a maior cidade portuária no norte da Inglaterra e  um tradicional centro para envio de algodão há mais de dois séculos. «O negócio não está completamente finalizado», ressalvou uma das fontes.

A entrada da Armajaro no negócio do algodão surge num dos períodos mais tumultuosos do mercado, com is agricultores, fábricas têxteis e empresas comerciais que fornecem o retalho a cambalearem face a um aumento de preços sem precedentes e consequente colapso no ano passado.

Menu